Todos estão a meu redor e eu vejo-os...mas não os sinto.

Sábado, 15 de Setembro de 2012

 

 

Finalmente respiro.

Não há liberdade para quem me manteve enclausurada.

Consigo ver, consigo sentir.

 

Há na pele dos outros algo que me aquece.

Que me arrepia e faz arder.

 

Finalmente acordei.

Não há amor nem odio para quem me matou.

Consigo dormir, consigo adormecer.

 

Há nas lágrimas dos outros algo que me faz sorrir.

Que me faz desejar e apetecer.

 

Finalmente de ti me libertei.

Não há vida para quem morreu.

Consigo sorrir, consigo tocar.

 

Há na vida dos outros algo que me intriga.

Que me faz correr e acreditar.

 

Finalmente sobrevivi.

Não há felicidade para quem me abandonou.

Consigo viver.

 

publicado por marisa.moreno às 14:39
link do post | favorito

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


arquivos
2014

2013

2012

2011

2010

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro